• 193 
  •  
  •  
  •  
  •  

Corpo de Bombeiros do Rio realiza festa de Natal em Copacabana

Corpo de Bombeiros RJ lança Operação Verão 2021/2022

Museu Histórico da corporação recebe familiares de bombeiros

Corpo de Bombeiros RJ foi destaque na Meia Maratona do Cristo

HCAP realiza treinamento para atendimento de pacientes com problemas em vias aéreas

CBMERJ realiza formatura do Curso de Salvamento em Altura

Sistema de Proteção dos Militares é aprovado na Alerj

Principais reivindicações das categorias tratavam sobre regras mais justas para pensões e gratificações

 
A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, na quinta-feira (16.12), em discussão única, o Projeto de Lei 5.181/21, de autoria do Poder Executivo, que cria o Sistema de Proteção Social dos Militares - válido para os bombeiros e para os policiais militares. A medida é uma exigência da legislação federal e altera diversas regras previdenciárias para os servidores. O texto, que recebeu 261 emendas, foi amplamente discutido em plenário e em duas audiências públicas realizadas pelos deputados. A proposta aprovada segue para o governador Cláudio Castro, que tem até 15 dias úteis para sancioná-lo ou vetá-lo. 
 
As alterações previdenciárias foram determinadas pela Lei Federal 13.954/19, que também disciplina mudanças para as Forças Armadas. A mensagem do Governo do Estado estabelece aumento de cinco anos do tempo mínimo de serviço para os novos policiais e bombeiros se aposentarem, passando de 30 para 35 anos, com pelo menos 30 anos em exercício de atividade militar. Para os atuais servidores, o texto também prevê um pedágio de contribuição adicional de 17% sobre o tempo restante para aposentadoria - levando em base o tempo mínimo atual, de 30 anos. 
 
 - Todos os estados estão aprovando essa lei. Aqui no Rio, essa medida vai garantir que o estado não perca cinco mil policiais já no início do próximo ano. Não teríamos nenhuma condição de repor essa perda a curto prazo, principalmente com o Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Por isso, solicitei ao presidente da Casa celeridade nessa votação -  comentou o governador Cláudio Castro. 
 
Pensões e gratificações 
 
As principais reivindicações das categorias foram regras mais justas para pensões e gratificações. O substitutivo aprovado pela Alerj garante que não sejam descontados 10,5% para a previdência de pensões abaixo do teto do INSS. O novo texto também determina menor diferença entre as categorias quanto à Gratificação de Regime Especial de Trabalho (GRET) dos militares. O benefício é uma compensação aos militares pelo permanente desgaste físico e psíquico provocado pela elevada tensão emocional inerente à profissão. Com as novas regras, as praças - aspirantes a oficiais subtenentes, sargentos, cabos e soldados - vão ter uma GRET equivalente a 150% do soldo, que é o salário base de cada categoria. Antes, esse valor era de 122,5%. Os oficiais superiores continuam ganhando uma GRET de 192,5% e os oficiais intermediários e subalternos de 150%. Somente os cadetes e alunos de academias, escolas e centros de formação que continuarão a ganhar uma GRET de 122,5%. 
Segundo o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ, coronel Leandro Monteiro, a corporação reforça que a projeto vinha sendo fundamentado, desde 2019, em diversas reuniões entre as corporações, membros do Tesouro e do Governo do Estado e representantes da Alerj em prol de oferecer melhores condições de vida ao bombeiro militar seja ele, ativo ou inativo e pensionista. 
 
 - O CBMERJ é só gratidão. O projeto vem única e exclusivamente para garantir a segurança jurídica dos militares do Estado, contemplando pleitos que passam por temas como remuneração, gratificações, férias, fundo de saúde e outros - reforçou o secretário. 
 
 
Fonte: Alerj

Grupo de Apoio às Mulheres com Câncer de Mama se reúne no HCAP

Corpo de Bombeiros RJ promove formatura do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos

Militares do CBMERJ visitam o Tribunal de Justiça Militar de São Paulo